Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ups... Já nos 40!

Esta sou Eu... sou Mãe, mas acima de tudo Mulher! E já nos 40...

Ups... Já nos 40!

Esta sou Eu... sou Mãe, mas acima de tudo Mulher! E já nos 40...

E ao post 100 a casa muda de nome

100.jpg

Já escrevi 100 posts?! Comecei meio a medo, sem ter bem a certeza no que isto ia dar, se iria ter assunto para escrever (até porque a área das letras nunca foi o meu forte, sempre me dei melhor com os números) e se ia conseguir tornar-me assídua neste mundo que é a blogosfera. 

Criei este cantinho um pouco para desabafar, para exteriorizar os meus medos e emoções que guardo só para mim, e essencialmente para me ajudar a ultrapassar a fase menos boa que estou a viver. Mas, e embora por vezes o meu lado mais negativo e depressivo venha ao de cima, também faço deste cantinho um relato do meu dia em família. 

Quando iniciei esta aventura ainda estava à porta dos 40. Agora, e já nos 40+1, o nome deste cantinho não faz muito sentido (acho).

Então, tenho andando aqui a pensar num novo nome para este cantinho e decidi esperar pelo post 100 para mudar o mesmo. O que acham do novo nome?

Continuem por cá e até ao post 200... ;)

Oh Tia, dá bolinho?!

Para manter a nossa tradição (que isto do Halloween é americano) lá fui de manhã com o meu filhote correr as ruas da minha terra, de saca em punho, pedir o bolinho.

O pequenito batia à porta, ou tocava a campainha, e dizia: "Oh Tia, dá bolinho?!" 

Gostei de ver este ano muito mais crianças pelas ruas de saquinha na mão (na sua maioria acompanhadas por adultos) todas felizes a fazer cumprir uma tradição tão nossa.

Isto foi o que rendeu a nossa manhã (bem já cá faltam umas coisitas que o pequenito e a irmã não resistiram até casa):

IMG_20161101_163907.jpg

 

Mas, foi estranho.

Foi estranho ter passado a tua casa Avó e não entrar e não ser brindada com o teu sorriso doce e dizeres que só tinhas uns rebuçaditos ou umas castanhas. Foi estranho ter de dizer ao pequenito quando me disse "Mamy, vamos a casa da Avó R. pedir o bolinho" que já não moravas ali, mas sim no céu, junto de Jesus.

Foi um misto de sentimentos e a lágrima esteve lá bem no canto do olho.